quinta-feira, 7 de junho de 2007

«Cobras de Portugal» expostas no Marco

A Associação dos Amigos do Rio Ovelha vai soltar no auditório municipal do Marco de Canaveses tudo o que há para dizer sobre as serpentes portuguesas já em 16 de Junho, sábado.

O autor deste guia de campo intitulado «Cobras de Portugal», Jorge Gomes, editor da revista «Parques e Vida Selvagem», do Parque Biológico de Gaia, começará às 15h00 uma apresentação sobre as dez espécies de ofídios do património natural português.
Se estiver presente ficará a saber por que umas são venenosas e outras não e poderá reter que a maior parte delas tem um papel insubstituível na natureza, inclusive no controlo de sobrepopulações de ratos.
Esta obra inicia com o prefácio da lavra do Prof. Dr. José Carlos Brito, biólogo do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO) da Universidade do Porto, que diz assim: «A relação entre as serpentes e o Homem tem uma longa e fascinante história. Desde sempre que estes répteis, e particularmente as víboras, evocam receio e excitação. Em muitas sociedades, as serpentes são perseguidas desde há milhares de anos, pois têm uma má reputação, sendo consideradas como animais perigosos (venenosos) e repugnantes, e objecto de todo o tipo de falsas fábulas e lendas. (…) Inserido numa nova linha de publicações sobre o património natural, este livro surge como uma lufada de ar fresco. As fichas de identificação e os elementos sobre a biologia e a conservação das serpentes revelam-se úteis tanto para os amantes da natureza em geral como para pessoas que procurem informação mais especializada.
Ricamente ilustrado, este guia permite ao leitor ter um contacto privilegiado com a magnífica fauna de serpentes portuguesas. As aventuras relatadas em torno da fotografia de serpentes retratam, de forma descontraída, o prazer lúdico que a observação de serpentes pode proporcionar. Adicionalmente, a preocupação manifestada sobre os factores de ameaça que afectam as serpentes tornam este livro também muito importante para a conservação das serpentes. As “Cobras de Portugal” são um verdadeiro instrumento de educação ambiental para que no futuro os ditos populares sobre serpentes deixem somente de recair sobre atributos negativos e enalteçam as características benéficas ou mesmo divertidas destes animais. Assim, o autor e editores estão de parabéns pela realização do presente guia».
Por isso, se quiser assistir ao lançamento desta obra e conhecer melhor este sector da diversidade biológica explicada em miúdos para o cidadão comum, apareça.
Porque «elas, as serpentes, estão perto de si, no campo ou na cidade: pode é não as ver! Se não sabe o nome da maior parte das cobras que lhe assaltam a vista ao longo do ano, encontra neste guia um apoio útil para resolver essa lacuna. Por outro lado, se trata as serpentes por tu, neste livro tem a possibilidade de as rever, agora que cada vez mais cai o seu estatuto de filhas de um deus menor».

Não deixe de aparecer no auditório para assistir a esta palestra/audiovisual.
A entrada é livre e gratuita.

Para mais informações, poderá entrar em contacto com a organização para o seguinte número: 931 109 418.

Augusto Barbosa

1 comentário:

Celeste disse...

gostarei decerto saber algo mais sobre as cobras portuguesas, bem hajam por promover estas iniciativas!